A Transformação Digital no ensino público no Brasil é um assunto de grande interesse para o conjunto da sociedade, não se restringindo apenas aos profissionais da área. Afinal, os impactos provocados pelas recentes soluções tecnológicas alcançam os âmbitos mais profundos do setor privado e, também, dos órgãos públicos e da população em geral.

Isso significa que alguns conceitos devem ser repensados urgentemente. Nesse contexto, compreender as mudanças no sistema de ensino é essencial para aprimorar a utilização da tecnologia em nosso cotidiano.

Pensando nisso, apresentamos, ao longo deste artigo, como acontece o processo de Transformação Digital no ensino público brasileiro, abordando de que forma o uso de algumas ferramentas — como o Google for Education — pode contribuir positivamente nesse cenário. Boa leitura!

O que é Transformação Digital?

Podemos compreender a Transformação Digital como um aspecto de otimização de determinadas atividades por meio de suportes tecnológicos. Trata-se de um movimento que vem sendo amplamente discutido nos ambientes empresariais, embora seus reflexos transcendam esse escopo.

Na atualidade, todo a sociedade atravessa mudanças profundas originadas pela nova era tecnológica. As atividades educacionais, por exemplo, têm sido significativamente impactadas pelas facilidades proporcionadas pela digitalização. Embora exista certa resistência às mudanças, elas são claramente irreversíveis, como demonstra o pesquisador Paulo Novais.

Dito de outra forma, não é possível impedir o acesso às plataformas digitais e aos recursos disponibilizados pela internet, sejam quais forem os ambientes. Em vista disso, é essencial utilizar a tecnologia para trabalhar em nosso benefício.

Um bom exemplo pode ser encontrado no conceito de long life learning(ou “aprendizagem ao longo da vida”, em tradução livre). Portanto, é crucial acompanhar a revolução tecnológica, traçando planos educacionais sustentáveis em curto, médio e longo prazo nas instituições de ensino.

Qual é seu impacto na educação?

Em um estudo recentemente publicado pela pós-doutora em Educação pela Florida Christian University, Regina Candida Fuhr, e apresentado ao V Congresso Nacional de Educação, estamos imersos no contexto do que a pesquisadora define como “Educação 4.0”.

A partir da crescente elevação da influência digital, estabeleceu-se a necessidade de implementar, nos processos educacionais, níveis cada vez mais personalizados. Sendo assim, um dos maiores desafios consiste em proporcionar essa adequação tão relevante.

Cada estudante precisa ter a capacidade de trilhar de forma autônoma os seus próprios caminhos, estipulando o que é ou não relevante nas áreas específicas do conhecimento para desenvolver as suas habilidades.

Uma das consequências imediatas refere-se ao fato de que, dessa forma, as oportunidades existentes no mercado de trabalho passam a ser aproveitadas de maneira mais justa e democrática.

Há diversas iniciativas que recebem o apoio de instituições como Google, Facebook, MIT, Harvard, entre outras, objetivando fortalecer módulos de ensino e aprendizado que podem ser acessados diretamente pela internet.

Contudo, as vantagens vão além disso. A título de exemplo, é possível, nos ambientes escolares, a partir de vivência que frequentemente passam despercebidas pelos professos e pela direção, construir espaços mais agradáveis e atrativos aos alunos.

Obviamente, todas as mudanças acarretam alguns riscos. Contudo, tanto nas escolas quanto fora delas, os estudantes entram em contato com os recursos tecnológicos e desenvolvem suas relações com (e por meio do) o universo digital.

Enquanto realidade, a priori, das decisões administrativas, é indispensável integrá-la aos ambientes escolares, adequando as instituições de ensino às reais necessidades da vida na sociedade contemporânea.

O que é Google for Education?

O Google for Education consiste em uma plataforma educacional e colaborativa que permite aos estudantes, aos professores e à própria escola explorarem todo o seu potencial criativo por meio da utilização de recursos e soluções tecnológicas em sala de aula.

Com efeito, a colaboração é a peça-chave, à medida que diversos estudantes adquirem a possibilidade de realizar trabalhas efetivos, produzindo imagens, mapas, tabelas desenhos e textos, ainda que se encontrem em distintos espaços físicos.

Isso é amplamente facilitado pelo fato de que os atuais estudantes integram uma geração extremamente familiarizada com as interações e os trabalhos conjuntos. Um dos principais objetivos do Google for Education é disponibilizar formas inovadoras de aproveitar tal familiaridade e o anseio que os estudantes demonstram de estar conectados, estabelecendo a ponte que os leva ao desejo de aprender.

As ferramentas da plataforma Google for Education podem ser usadas em celulares, tablets, notebooks, computadores e Chromebooks. Todos rodam a partir da nuvem do Google e diretamente na internet. Isso torna possível a realização de inúmeras atividades, também no modo offline.

Entre as ferramentas e recursos mais utilizados, destacam-se:

  • Google Hangout;
  • Google Classroom (uma sala de aula totalmente online);
  • Google My Maps;
  • Google Fotos;
  • Google Desenho;
  • drives colaborativos;
  • agendas colaborativas;
  • Google Sheets (que são planilhas colaborativas);
  • Google Slide (permite apresentações colaborativas de slides);
  • Google Docs (possibilita a edição colaborativa de textos).

Além de tudo isso, há inúmeros complementos e extensões que amplificam a eficácia das atividades desenvolvidas em sala de aula.

Como o Google for Education auxilia as escolas de ensino público?

O Google for Education, conforme mencionado, contribui para dinamizar os processos de ensino e aprendizagem com ferramentas de vídeo, desenhos, drives, planilhas, formulários, calendários, correios eletrônicos, entre outras.

Ao articular essas ferramentas, a plataforma possibilita a ampliação segura do trabalho colaborativo de alunos e professores. Para as realidades específicas das instituições públicas de ensino, seus benefícios incluem:

  • acesso fácil e rápido a informações e dados relevantes: é possível acessar, a qualquer hora e de qualquer lugar, os materiais disponibilizados em nuvem;
  • armazenamento ilimitado de conteúdos;
  • fortalecimento da relação entre professores e estudantes: ferramentas como testes ou questionários editáveis, webinários, tutoriais e Google Calendar permitem manter todos atualizados quanto aos eventos e conteúdos escolares, possibilitando, ainda, compartilhamento seletivo;
  • poder de gestão: o administrador pode monitorar o compartilhamento e as configurações de acesso aos conteúdos, assegurando a melhor usabilidade de acordo com as especificidades de cada escola ou turma;
  • privacidade e segurança: as informações são armazenadas em ambientes seguros, evitando os riscos inerentes aos ambientes online e oriundos de spams indesejados;
  • compatibilidade entre dispositivos: os aplicativos rodam em todos os dispositivos capazes de se conectar à internet;
  • promoção de ambientes educacionais efetivamente colaborativos: a criação de comunidades e grupos de discussão simplificam a troca de experiência entre alunos e educadores.

Agora que você já conhece um pouco mais sobre os impactos da Transformação Digital no ensino público no Brasil e as ferramentas disponibilizadas pelo Google for Education, chegou a hora de buscar formas eficientes e, sobretudo, práticas para otimizar as práticas educacionais da sua instituição .

Leave a Reply